Destaque Política

“Fui pego de surpresa”, afirma Geraldo Júnior sobre ciúmes dos prefeitos de Conquista, Feira e Itapetinga

Compartilhe essa postagem com outras pessoas...

Afiliação do atual presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior, ao MDB, supostamente teria causado ciúmes nos prefeitos de Feira de Santana, Colbert Martins, de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, e de Itapetinga, Rodrigo Hagge. O fato causou surpresa a Geraldo que aposta em uma renovação da sigla.

“Fui pego de surpresa com essa história de que os prefeitos de Feira, Conquista e Itapetinga ficaram enciumados com a minha entrada no MDB, já que fui convidado pelo presidente estadual, Alex Futuca, e o presidente Nacional, o deputado federal Baleia Rossi. Junto com o convite recebi a missão de, ao lado de Futuca, conduzir a renovação do  partido , ficando eu responsável por Salvador onde milito há anos e o Futuca pelo interior onde ele tem grande conhecimento , e seria uma renovação para valer e não para inglês ver “, disparou Geraldo Júnior.

A ofensiva dos três prefeitos baianos causou estranhamento a diversas vozes emedebistas que afirmam que a executiva do partido foi eleita em convenção, inclusive com a presença ,discursos e votos dos prefeitos que, agora, dizem não se sentirem representados pela executiva eleita.

“Mas como se Herzem é o segundo Vice Presidente , Michel Hage o avô de Rodrigo Hage é vogal por indicação do mesmo? Agora, se Herzer não se sente representado por ele mesmo não sei como vai colocar o nome para ser o representante do povo de Conquista na Prefeitura, se Rodrigo Hage não se sente representado pelo seu avô então ele não conhece ou não valoriza a história do mesmo. O que não dá para ouvir e ficar calado é a inverdade que não são ouvidos quando por diversas vezes o Futuca convocava reunião e não se materializava por falta de quórum, inclusive a ausência dos que hoje reclamam”, comentou Geraldo.

O presidente da Câmara de Salvador afirma ainda que não aceita a versão de que as decisões foram tomadas sem escutar todos os gestores, já que, durante esse período, só houve filiações ao candidato apoiado por ACM Neto (DEM), Bruno Reis.

“Então basta eles apresentarem oficialmente que são contra o apoio ao candidato de ACM Neto, que a posição poderá ser rediscutida mesmo que para eles venham a representar a perda de apoio do DEM nos seus municípios, o que representaria perda de tempo de TV e rádio , perda de apoio de lideranças e candidatos a vereadores, mas, principalmente, a perda do apoio do maior eleitor da Bahia, que é o prefeito de Salvador ACM Neto”, completou.

Ainda de acordo com Geraldo Júnior, todas as filiações são feitas pelos diretórios municipais de cada cidade, com exceção de Feira de Santana pelo fato de não ter feito convenção e não ter prestado contas à justiça eleitoral.

“As filiações tiveram de ser feitas pela estadual, que apenas encaminhou os nomes enviados, bem como teve de nomear uma comissão provisória cujos nomes foram todos indicados pelo prefeito Colbert Martins e mesmo assim para não correr o risco de se repetir a eleição passada onde mesmo com o MDB tendo Colbert Martins como vice na chapa de Zé Ronaldo, não conseguiu eleger um único vereador”, explicou.

Geraldo Júnior destacou também que os prefeitos que reclamaram por supostamente não serem consultados são os mesmos que não apoiaram os candidatos a governador e a presidente da república do partido, João Santana e Henrique Meireles, com o agravante de que João Santana era o presidente do partido à época eles optaram por Jair Bolsonaro (sem partido).

“Para finalizar quero dizer que prefiro continuar quebrando a cabeça pensando no que os levou a soltar à imprensa um pergaminho apócrifo com uma série de inverdades facilmente rechaçadas do que acreditar no que se comenta no meio politico e na imprensa, que foi meramente uma jogada para inventar uma crise e desta forma ser chamado para garantir compromisso de valores do fundo eleitoral por se acharem grandes , sendo que não se sabe quando se dará a eleição , nem mesmo se haverá esse fundo imoral, que inclusive já manifestei ser contra que se tire dinheiro da saúde quando milhares de pessoas estão a morrer por conta da falta de condições para se enfrentar a pandemia, quando na verdade deveriam deixar a politicagem de lado e seguir o exemplo do governador Rui Costa e o prefeito ACM Neto, que deixaram diferenças de lado para juntos trabalharem para salvar a vida dos baianos”, enfatizou.

Por fim, o presidente da Câmara ressaltou que ingressou no MDB a convite dos presidentes estadual e federal para ajudá-los na renovação do partido “Vim para somar e não dividir, não vim para tomar espaço de ninguém, mas também não abro mão de com trabalho , coerência , verdade e lealdade , conquistar o meu próprio espaço”, concluiu Geraldo Júnior.

*Matéria da Band News.

  • manoelimportadosred
  • mginformatica1

Banner Seu Menu (NÃO APAGAR)

banner-seumenu-blitz